Arquitetura infinita de Benjamin Sack

Detalhe do desenho de uma metrópole superpopulosa, em que uma catedral se destaca em meio aos prédios “Boxed In”

O artista desenhando uma metrópole superpopulosa circular “Roots of Being (Per Aspera ad Astra)”

Detalhes do desenho anterior, com prédios tão grandes que formam labirintos na metrópole Detalhe de “Roots of Being”

Detalhe de um desenho em que uma megalópole circula montanhas, que se confundem com os prédios colossais Detalhe de “Leitmotif”

Esses são alguns desenhos do artista Benjamin Sack, que imagina ambientes em que construções e estruturas em megalópoles podem até parecer labirintos imensos. Sua nova obra, a imensa Roots of Being (Per Aspera Ad Astra) vista acima, começou a ser feita no início do lockdown em março de 2020 e foi finalizada quando ele tomou a primeira dose da vacina, em abril desse ano. Ele descreve a tela para o [Colossal] como “um labirinto enorme, emblemático da época em que nós persistimos”.

Confira também esse vídeo que mostra um pouco do processo de Sack.

Comentários

Comentar

Comentários são moderados, então pode demorar um pouco para o seu aparecer no site.

Seja legal e siga nossa etiqueta de comentários.