Eu sou apaixonado pelo Bliss Release, álbum de estreia dos australianos Cloud Control. “Islands”, “My Fear (1)”, “Gold Canary” e “There’s No Smoking In The Water” são divertidíssimas de ouvir, sempre, e embalaram uma boa parte do meu ensino médio. O melhor? Elas envelhecem muitíssimo bem.

E Dream Cave, o álbum que segue em frente na carreira da banda, é tão divertido quanto. Eu acho que é ainda mais divertido, na verdade. Com músicas como “Scar”, “Dojo Rising” e “Island Living” eles pegam aquilo de melhor que tinham levado pro álbum de estreia, e seguem em frente. Com “Moonrabbit” eles brincam com possibilidades novas, e eles não parecem muito preocupados em definir seu estilo.

Vai ver esse é o próprio estilo do Cloud Control: não tentar se encaixar no panorama australiano da música (eles não tentam ser um novo Tame Impala, mas eles não se importam de pegar elementos livremente). Mais que qualquer outra coisa, Dream Cave é empolgante — aquela música que pode não ficar na sua cabeça, que não vai animar sua balada, mas é aquele tipo de música excelente pra, no meio da janta dos amigos, animar uma discussão. Dream Cave tá aí pra ficar lá no fundo do teu cérebro, e movimentar mais teus sentimentos que teus pés. Eu convivo muito bem com ela assim.


Dream Cave (2014, Cloud Control) é chatíssimo de encontrar pra ouvir, mas tu pode ter um gostinho no YouTube.